Gisele's place

You'll find here a bit of everything that goes through my head. Most of it silly, crazy things. =D

Whitney, My Love - Judith McNaught Judith Mcnaught é o tipo de autora que faz eu comprar os seus livros de olhos quase fechados,sempre na certeza de que até os seus livros medianos, serão acima da média dos muitos livros que tenho lido. E sempre que compro um, demoro dias pra ler, como que estivesse com medo das emoções que as suas histórias me proporcionarão. E sempre é assim, não consigo ler ela sem me atar profundamente aos personagens e a trama, sempre é muito intenso.

E com Whitney, my love, não poderia ser diferente. De todos os livros históricos da Judith esse era o único que faltava, mas de tanto ler resenhas e comentários sobre ele, fiquei com um pé atrás por causa do mocinho, Clayton, Duque de Claymore. Todo mundo falava mal dele. De como ele era arrogante, cheio de si,autoritário,tempestuoso. De como ele tanto destratou a Whitney, etc.. Eu fiquei com medo de ler, e pensava, como um mocinho desses pode ser chamado de mocinho??

Aproveitei que o pocket book, com o final estendido, estava disponível para pronta entrega e comprei, sabendo que assim seria obrigada a ler.. e a aventura começou. A primeira coisa que me aconteceu foi que eu me apaixonei por Clayton Westmoreland! Ele é sim tudo o que eu falei ainda a pouco e um pouco mais. Mas pra mim isso faz parte do charme dele! Clayton não poderia ser de outra forma. Ele nasceu e cresceu para ser um Duque inglês em toda a sua glória, e onde é que já se viu um Duque ser um mocinho bonzinho e bobinho?? Com Clayton, Judith fez uma caracterização perfeita da aristocracia inglesa em toda a sua estúpida arrogância.

Mas o bichinho pode sim ser redimido! Primeiro, nenhum outro homem seria capaz de controlar a impetuosa Whitney (a bichinha era o diabo). Olha que eu fiquei com muita raiva dela a maior parte do livro, pois ela fica presa nessa idiotisse de se casar com o Paul. Coisa de criança mesmo. E olha que Clayton foi paciente...
Segundo, ele é muito intenso nos seus sentimentos, no seu amor, na sua possessividade.. ain.. lindo! Claro que não vou fechar os olhos para os seus erros, principalmente pelo fato de ele ter, por duas vezes, pensado o pior de Whitney e em nenhum momento dar a ela a chance de se explicar. E o pior era que depois que ele formava as suas opiniões a respeito do que ela teria feito, Clayton agia irracionalmente. Muito tempestuoso o menino...

Não achei que Whitney perdoou ele muito rápido por tudo, ambos sofreram bastante por seus erros. E tinha momentos em que achava que estava dentro de uma novela mexicana... nossa...tudo dava errado sempre!! huahauha...

Adorei a mãe de Clayton, amei de paixão o Du Ville e reverenciei o Stephen (que alias se transformou no seu livro em um chato, em comparação ao que ele era em Whitney, my love.)

Vale muito a pena ler, torcer, se "enraivar" e se emocionar a cada página desse livro! Com certeza um favorito (mas ainda não tira Once and Always e Alguém para amar do topo dos melhores ever).

Ah, já ia me esquecendo... na cena em que Clayton bate na Whitney, se vc ler com atenção, vc verá que ele não queria bater nela não.. ele viu a besteira que fez até mesmo antes de batê-la e apesar dos pesares, vamos combinar.. ela bem que mereceu! huahauhau...

Agora estou com DPL, pois como já estava a uma semana tendo esse livro como meu animal de estimação.. sempre comigo, sempre lendo quando tinha um tempinho, quase parte da familia.. e agora acabou.. =( Por isso, você que ainda não leu a série da Dinastia Westmoreland, não perca tempo e se apaixone. Recomendo a seguinte ordem de leitura:

Um Reino dos Sonhos - Royce e Jennifer
Whitney, meu amor - Clayton e Whitney
Até Você Chegar - Stephen e Sherry

Deixo vocês com uma parte linnndaa, que amo de paixão, quando eles se reconciliam pela segunda vez, já no final estendido:

"If I ever think you are even considering leaving me again, no matter how good your reasons, I'll have you locked in your rooms and the doors barricaded, so help me God. (...)
Her voice shaking, Whitney said, "Will you stay locked in there with me?" (...)
"Yes", he whispered"